sábado, 11 de agosto de 2012

INFINITO...


Tudo é tão pequeno
ante a magnitude do infinito.
Solitária, medito...

Quero tecer sonhos
ultrapassar limites,
abusar da fantasias
e mergulhar profundo
na vastidão dos céus...
Sou ínfima criatura
na busca interminável
do meu próprio EU...
E a imensidão da alma
junta-se a do infinito.
E voa, meu ser tão leve,
até onde me permite
com as asas que me deste
atingir do céu, o limite!

Ângela Mendes, 08-08-2012....

2 comentários:

  1. Que beleza de poema Angela, a busca constante do Homem, diante da imensidão do viver. Muito profundo. Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e pelo comentário...<3

      Excluir